Na vitrola lá de casa: Raul Seixas – Carimbador Maluco

5… 4… 3… 2…
– Parem! Esperem aí.
Onde é que vocês pensam que vão?

Plunct Plact Zum
Não vai a lugar nenhum!!
Plunct Plact Zum
Não vai a lugar nenhum!!
Tem que ser selado, registrado, carimbado
Avaliado, rotulado se quiser voar!
Se quiser voar….
Pra Lua: a taxa é alta,
Pro Sol: identidade
Mas já pro seu foguete viajar pelo universo
É preciso meu carimbo dando o sim,
Sim, sim, sim.
O seu Plunct Plact Zum
Não vai a lugar nenhum!
Plunct Plact Zum
Não vai a lugar nenhum!
Tem que ser selado, registrado, carimbado
Avaliado, rotulado se quiser voar!
Se quiser voar….
Pra Lua: a taxa é alta,
Pro Sol: identidade
Mas já pro seu foguete viajar pelo universo
É preciso meu carimbo dando o sim,
Sim, sim, sim.
Plunct Plact Zum
Não vai a lugar nenhum!
Plunct Plact Zum
Não vai a lugar nenhum!
Mas ora, vejam só, já estou gostando de vocês
Aventura como essa eu nunca experimentei!
O que eu queria mesmo era ir com vocês
Mas já que eu não posso:
Boa viagem, até outra vez.
Agora…
O Plunct Plact Zum
Pode partir sem problema algum
Plunct Plact Zum
Pode partir sem problema algum
(Boa viagem, meninos.
Boa viagem).

Facebook Comments

3 comentários

  1. – Parem! Esperem aí.
    Onde é que vocês pensam que vão?

    Plunct Plact Zum
    Não vai a lugar nenhum!!
    Plunct Plact Zum
    Não vai a lugar nenhum!!
    Tem que ser selado, registrado, carimbado
    Avaliado, rotulado se quiser voar!
    Se quiser voar….

    Embora pareça uma brincadeira de criança, com letra inconsequente, Plunct Plact Zum é uma crítica à censura conforme pode ser identificado pelo texto acima.
    Na época, nem a galera raulseixista entendeu, achou que ele tinha se vendido ao sistema, quando, na verdade ficava pé na expressão visível mais retrógada da ditadura militar: a Rede Globo de Televisão.
    O Carimbador Maluco foi inspirado num texto antigo, um antigo escrito (Puxa… não consigo lembrar… quem sabe apareça outro raulseixista por aqui e ajude…)

  2. segundo eu sei, essa música foi isnpirada na filha Vivian. Na época com 2 anos.
    No dia do velório do Raul eu estava em Salvador. Era uma tarde iluminada e ventava muito. Eu chorei demais.
    O cemitério da Saudade estava lotado. Eu estava hospedada num hotel perto e fui dar adeus a ele.
    Eu vivia uma fase rebelde da minah vida.
    Beijos e dias felzies

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.