Mulher Sul-Africana rompe a garganta participando de competicão de sopro de vuvuzela

vuvuzelas

Antes do início da Copa foi comum ver as pessoas confundindo as palavras “bafana bafana”e “vuvuzelas”, tinha quem chamava a seleção de “vuvuzelas” e as espécies de cornetas sul-africanas de “bafanas”.

Com o passar do tempo as pessoas aprenderam que na verdade era o inverso, os bafanas eram a seleção e as vuvuzelas as cornetas, essas, tão comentadas, devido a quantidade de barulho que causam durante os jogos, dificultando a comunicação dentro do campo e até mesmo a transmissão dos jornalistas que estão na arquibancada.

Particularmente, já tinha assistido diversas matérias que comunicavam a respeito dos perigos do barulho gerado pelas vuvuzelas para a audição das pessoas, mas lendo o Digg na semana passada, me deparei com a seguinte notícia: “Mulher Sul-Africana rompe a garganta participando de competicão de sopro de vuvuzela”.

Segundo a matéria da FoxNews, Yvonne Mayer da Cidade do Cabo, resolveu participar do campeonato de vuvuzelas que ocorreu na cidade no dia de abertura da Copa do Mundo. Segundo a participante, durante o campeonato, começou a sentir a garganta queimar que continuou aumentando com o passar do tempo, então ela resolveu ir ao médico.

O Doutor Scott Barker não se aguentou e ao analisar a garganta da paciente, riu, pois o fato era inusitado. Foi detectado que Yvonne teve uma lesão ao soprar a vuvuzela, lesão essa que piorou pois ela continuou soprando mesmo sentindo a queimação na garganta.

Felizmente levou apenas dois dias para a lesão curar e Yvonne não teve danos permanentes, mas aos 30&Alguns sempre vale a pena destacar que segundo os médicos os barulhos gerados pelas vuvuzelas podem causar danos permanentes à audição.

Facebook Comments
Curta nossa página 😉
error

1 comentário

  1. Modismo tosco e idiota leva a situações como esta.

    E fico me perguntando quantas pessoas ficarão surdas ou com problemas de audição por conta dessas porcarias, que os IDIOTAS compram e dão para os filhos ou usam indiscriminadamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.