Glutamina

Glutamina, você já ouviu falar?

A Glutamina é um aminoácido livre, ou seja, molécula que forma proteína, produzido pelo organismo, mais abundante no plasma e no tecido muscular e é essencial para a síntese proteica e além de atuar como nutriente para as células imunológicas, apresenta uma importante função anabólica promovendo o crescimento muscular.

Um dos aminoácidos constituintes das proteínas, sintetizado a partir das necessidades corporais sendo o mais abundante no plasma e tecidos, principalmente no muscular.

No organismo a glutamina exerce funções muito importantes:

  • Manutenção do sistema imunológico – fonte energética para células de defesa do organismo (os linfócitos) e para precursores de citocinas, atua como combustível para o sistema imune;
  • Equilíbrio do balanço ácido/básico durante estado de acidose;
  • Possível reguladora da síntese e da degradação de proteínas;
  • Controle do volume celular;
  • Controle entre o catabolismo e anabolismo;
  • Atua na síntese de glicogênio;
  • No combate à síndrome do overtraining (OTS);
  • Desintoxicação corporal do nitrogênio e da amônia, motivo pelo qual é necessário manter sempre constante a quantidade de glutamina no sangue;
  • Atua na melhora da função intestinal, maior fonte de energia das células da mucosa intestinal, trabalha como combustível para os enterócitos (células do intestino);
  • Responsável por até 70% da proteção imunológica do corpo humano;
  • Alimenta as células dos intestinos delgado e grosso, os enterócitos que reduzem a permeabilidade intestinal e dificultam a absorção de patógenos (causadores de doenças, como vírus e bactérias);
  • Ao ser captada pelo fígado favorece a síntese de glutomina, principal e mais potente antioxidante do organismo;
  • Diminui o estresse oxidativo e interfere nas citocinas inflamatórias minimizando lesões nas células do fígado, potencial terapia para a toxicidade hepática;
  • Auxilia no aumento das reservas de glicogênio muscular, ajudando a evitar que o organismo queime massa muscular para gerar energia;
  • Reduz a taxa de oxidação do aminoácido L-leucina, potencializando a síntese muscular;

A carência de glutamina pode ser provocada por diversos fatores, fragilizando o funcionamento de importantes sistemas do organismo. Para atletas, o suplemento representa um suporte ao ganho de desempenho., auxiliando no aumento e/ou recuperação de massa muscular, evita a produção excessiva de amônia, associada a fadifa e comum na prática de exercícios físicos, assim como evita também o estado catabólico durante e depois do treino e melhora o funcionamento do organismo. A glutomina atenua a resposta inflamatória gerada por exercícios prolongados, apresenta atividade cardioprotetora, evita a queda, reduz os danos às células do sistema imune associadas ao exercício de endurance.

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.