por Célio Pezza* Ela era uma das últimas árvores. Estava seca, sofrida, e seus galhos, sem folhas, se quebravam a qualquer movimento. Fazia tempo que não chovia naquele mundo e toda a exuberância verde do passado só existia na sua memória. Suas raízes buscavam nas profundezas qualquer resto de umidade,Read More →

Acho que por sermos um povo latino muitas vezes tentamos mostrar empatia e compreensão com os problemas dos outros sem na verdade entendermos o que a pessoa está passando. Acredito que somente devemos dizer “eu imagino o que você está passando”, se realmente tivermos a condição real de imaginar oRead More →