Crianças que respiram de forma anormal são mais propensas a desenvolver problemas de comportamento

Um novo estudo publicado estes mês na revista Pediatrics, onde pesquisadores do Reino Unido, acompanharam mais de 11.000 crianças durante seis anos, foi descoberto que as crianças que roncam ou tem apnéia do sono (longas pausas na respiração durante o sono), são 40% mais suscetíveis a desenvolver problemas comportamentais, como hiperatividade e agressividade, aos 7 anos de idade, do que crianças que respiram normalmente durante o sono.

Problemas respiratórios que podem ocorrer durante o sono incluem ronco freqüente, respirar com a boca aberta e a apnéia do sono, por isso, pais e pediatras devem prestar atenção aos distúrbios respiratórios do sono em crianças pequenas, a partir do primeiro ano de vida.

De acordo com a Academia Americana de Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço, nos EUA, cerca de 1 em cada 10 crianças roncam regularmente, e 2 a 4 por cento têm apnéia do sono, os problemas respiratórios são mais comuns em crianças entre 2 e 6 anos de idade, mas também pode ocorrer em crianças mais jovens.

As causas comuns dos problemas respiratórios são amígdalas e adenóides, que são encontrados na parte superior da garganta. Outras causas incluem o crânio, obesidade e deformidades faciais, e uma incapacidade do cérebro para controlar a respiração.

Os pesquisadores compararam 5.000 crianças que apresentavam a respiração normal com cerca de 6.000 crianças que tinham problemas respiratórios durante o sono, enquanto os pais foram convidados a preencher questionários sobre os padrões de sono das crianças desde quando tinham 6 meses de idade até os quase 6 anos de idade.

Quando seus filhos completaram a 4 anos de idade, e depois aos 7 anos, os pais preencheram um questionário destinado a medir cinco tipos de comportamento, incluindo hiperatividade, sintomas emocionais, como ansiedade e depressão, problemas de relacionamento com colegas, problemas de conduta, como seguir regras e comportamentos sociais em relação aos outros.

As crianças que tinham problemas respiratórios aos 6 meses, tinham 50% mais risco de desenvolver problemas de comportamento aos 7 anos de idade, em comparação com as crianças que respiravam normalmente. O maior aumento foi relacionado a hiperatividade, mas os pesquisadores notaram  aumentos significativos em todos os cinco tipos comportamentais.

As crianças com os problemas mais graves de comportamento foram aqueles com sintomas de distúrbios respiratórios do sono, que persistiu e tornou-se mais grave  aos 2 1/2 anos de idade.

Os pesquisadores recomendam aos pais que suspeitam que o filho tem problemas respiratórios durante o sono a perguntar ao pediatra se a criança precisa ser avaliada por um otorrinolaringologista (médico de ouvido, nariz e garganta) ou um especialista do sono.

Aos 30&Alguns acredito que nós pais devemos acompanhar com atenção o desenvolvimento dos nossos pequenos, assim podemos evitar uma série de problemas futuros.

Via.

Facebook Comments
Comments
  1. Selma

    Meu filho confirma tudo isto. Apresentou dificuldades respiratória aos primeiros dias de vida, aos 18 dias ,passei
    toda a noite com ele nos braços ,para não sufocar. Aos 8 anos , foi diagnosticado como hiperativo . Apresenta realmente dificuldades de relacionamento na escola e até mesmo em casa e somos :eu o pai e ele. Um abraço!
    Obrigada por tantas boas informações.

  2. Obrigado pela informação interessante, minha esposa está grávida, quando o bebê nasce – vai certamente vê-lo dormir

ADD YOUR COMMENT

Mostrar botões
Esconder botões