Atendimentos por violências e maus tratos na maioria das vezes são praticados por familiares

“Uma em cada três mulheres no mundo inteiro será vítima da violência durante sua vida”

Como ontem foi o Dia Internacional da Mulher, com a data em mente, não há como não tocar no assunto da violência doméstica  e maus tratos, além das crianças, adolescentes e idosos.

Segundo Marta Silva, coordenadora da Área de Prevenção de Violências, do Ministério da Saúde, “… essa violência muitas vezes é velada, nem chegam ao pronto-socorro, são atendidas no ambulatório de especialidade ou em um centro de referência de violência. Muitas das vítimas nem chegam a procurar algum serviço de saúde”.

A violência sexual geralmente, apenas é denunciada (quando é), se tiver ocorrido um estupro e as violências físicas quando ocorre grave lesão corporal.

Segundo dados do Sistema de Vigilância de Violências e Acidentes (Viva), do Ministério da Saúde, em 2006, uma pesquisa feita em 35 municípios em 27 estados brasileiros mostram que, “foram realizados um total de 46.531 atendimentos de violências e acidentes em serviços de urgência e emergência nessas cidades”.

Atendimento às mulheres:

1. agressões
2. tentativas de suicídio (principalmente por envenenamento)
3. maus tratos

Como estamos falando de violência contra a mulher, semana passada visitando o blog Arquivinho, acabei chegando em um post que falava sobre o website “Homens Unidos Pelo Fim da Violência Contra a Mulher“, uma iniciativa que deve ser aplaudida.

Aos 30&Alguns indico outros websites interessantes, passe adiante:

Campanha de não violência contra a mulher

Portal Violência Contra a Mulher

Hip Hop Pela Não Violência Contra as Mulheres

Instituto São Paulo Contra a Violência

Projeto Não Violência

Obs: Nos EUA, a Avon Foundation for Women doou no início do mês, US$ 1,5 milhão para a criação do Centro Global Avon em Prol da Justiça e das Mulheres da Faculdade de Direito Cornell.

Facebook Comments
Comments
  1. Nada mais covarde e desumano que a violência doméstica; duas pessoas que vivem sob o mesmo teto, não tendo mais pra onde ir, tendo de dormir com o inimigo ao lado! Como advogado que sou, nunca defendi homens que batem em mulheres! E até a OAB de SP encabeçou uma luta contra a violência doméstica dias atrás.

    Ótimos sites! Temos de nos mobilizar pra acabar com tanta covardia!

ADD YOUR COMMENT

Mostrar botões
Esconder botões