Urticária – uma em cada cinco pessoas no mundo tem #semanamundialdealergia

Entre os dia 02 e 08 de abril acontece a Semana Mundial de Alergia, que tem como tema este ano “A Agonia da Urticária: O Que Fazer Quando a Coceira e os Inchaços Não Vão Embora”.

A doença atinge uma em cada cinco pessoas no mundo, sendo que dessas entre 1% e 2% apresentam a urticária crônica, que leva mais de seis semanas para desparecer. São urticárias que tem um mecanismo relacionado à autoimunidade, ou seja, não é nenhum fator externo que está causando a doença. Por isso a importância de consultar um especialista que esteja apto a investigar a questão de forma adequada e que poderá explicar o que está envolvido nessa reação.

Segundo o Coordenador do Departamento Científico de Urticária da ASBAI (Associação Brasileira de Alergia e Imunologia), o Dr. Luís Felipe Ensina, hoje existem várias alternativas para o tratamento da urticária, tanto para as mais simples como para aquelas mais complexas, que são resistentes ao uso de antialérgicos, sendo a maior novidade no tratamento da urticária crônica o omalizumabe, um anticorpo monoclonal anti-IgE, que diminui a ativação do mastócito, célula responsável pela liberação de histamina, a principal substância relacionada aos sintomas da urticária. Indicado para todos os pacientes que não respondem a doses altas de anti-histamínicos, e tem uma eficácia maior que 70%, com poucos efeitos colaterais significativos.

Abaixo algumas dicas que podem contribuir para que o tratamento da urticária seja eficaz:

  • Mantenha a medicação contínua mesmo que esteja se sentindo bem;
  • Não tome remédios por conta própria;
  • Mantenha a pele hidratada, mas com hidratantes e sabonetes orientados pelo médico;
  • Evite banhos demorados e quentes;
  • Prefira roupas de algodão;
  • Procure atividades de lazer para combater o estresse.

Abaixo alguns possíveis desencadeadores da doença:

  • Aumento de temperatura – Pode ser a urticária colinérgica, que acontece com o aumento da temperatura corporal em atividades cotidianas, como banho quente, exercício físico, sudorese, ingestão de alimentos quentes e bebidas alcoólicas.
  • Alimentos – A urticária por alimentos se manifesta minutos após a ingestão da comida e acontece sempre que a pessoa ingere o alimento em questão. São necessários exames laboratoriais, testes cutâneos e, eventualmente, testes de provocação. Comprovado que o alimento é o causador da urticária, ele deve ser eliminado da dieta. Os alimentos também podem causar a urticária aguda. Nas crianças, os alimentos causadores de urticária mais frequentes são leite, ovo, trigo e soja.
  • Medicamentos – Os remédios estão entre as principais causas de urticárias agudas, sendo os mais comuns de provocar a reação os anti-inflamatórios, antibióticos – especialmente aqueles da família da penicilina – contrastes radiológicos, anestésicos, imunizações, anti-hipertensivos.
Facebook Comments
No Responses

ADD YOUR COMMENT

Mostrar botões
Esconder botões