Imunoterapia e o tratamento de câncer

A Digital Influencer Nara Almeida, 24 anos, desde agosto de 2017 utiliza as redes sociais para compartilhar a sua batalha contra um câncer agressivo e raro no estômago. Apesar de jar ter realizado sessões de quimioterapia e cirurgia para reduzir o quadro de metástase, agora irá começar uma nova fase do deu tratamento com a imunoterapia.

De acordo com a Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO – American Society of Clinical Oncology) o tratamento é considerado o maior avanço dos últimos anos no tratamento do câncer, a imunoterapia lança luz sobre possibilidades de barrar os avanços da doença em pacientes que não apresentam boas respostas às medicações habitualmente adotadas nos processos terapêuticos.

Segundo o Dr. Bernardo Garicochea, oncologista e especialista em genética do Grupo Oncoclínicas, estas medicações são capazes de impulsionar o sistema imunológico dos pacientes, seja por aumentar a capacidade de recrutamento de células imunes contra o tumor ou estimulando células que haviam sido enganadas pelo câncer e estavam desativadas.

O tratamento tem trazido ótimos resultados, principalmente nos casos de cânceres de pulmão, bexiga, melanoma, rim e linfoma de Hodgkin, entre outros. Chama atenção que certas alterações genéticas encontradas no tumor do paciente podem indicar que ele terá respostas positivas a esse tipo de tratamento, indicando que possivelmente qualquer tumor humano poderia ser alvo de medicamentos imunoterápicos desde que possua marcadores genéticos.

Dr. Bernardo ressalta que mesmo havendo um longo caminho e muitas variáveis a serem avaliadas no que diz respeito às indicações da imunoterpia, ela pode ser tratada como um novo capitulo do tratamento do câncer humano, alinhando-se a quimioterapia, cirurgia, radioterapia e mais recentemente às drogas-alvo. E apesar de estarmos apenas no começo da descoberta do potencial da imunoterapia, muitos resultados são admiráveis em casos onde não havia mais nenhum recurso para utilizar.

Apesar dos avanços, o oncologista lembra que é cedo para afirmar que a imunoterapia seria a chave para a cura do câncer. De toda forma, os passos já trilhados observados com otimismo e lançam boas perspectivas para tratamentos de cânceres metastáticos que não respondem às medicações convencionais indicadas, tais como quimioterápicos, drogas alvo-moleculares.

A imunoterapia já tem aprovação da Anvisa para uso em casos de melanoma, câncer de rirm, câncer de pulmão e vem sendo oferecidos em hospitais privados e instituições públicas que participam da pesquisa clinica em Oncologia.

Para a maioria da população o tratamento é caro, a própria Nara buscou durante muito tempo ajuda do governo para custear o tratamento já que a dose do medicamento custa cerca de R$18 mil reais e deve ser ingerido a cada 21 dias. Como o plano de saúde da influenciadora digital não cobria os gastos. Ao saber da história o jogador de futebol Alexandre Pato disponibilizou-se a pagar o tratamento de Nara durante seis meses.

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *