Casamento: diferença entre o dos nossos pais e o da geração Y

Casamento sempre foi um tema bastante discutido e extremamente importante na vida dos envolvidos, independente da geração, com tantas mudanças entre as gerações, de acordo com dados de 2013 do IBGE, os brasileiros estão indo cada vez mais tarde para o altar. A idade média dos solteiros na data do casamento era de 26 anos para os homens, em 2002, mas subiu para 28 anos, em 2012. Entre as mulheres, no mesmo período, a idade para se casar subiu de 23 para 25 anos.

Segundo a última pesquisa Estatísticas do Registro Civil, feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os brasileiros estão casando cada vez mais tarde, o comportamento dos brasileiros aproxima-se do observado em países de primeiro mundo, as pessoas têm priorizado estudos e crescimento profissional. Na Itália, por exemplo, 35 anos é a idade média das mulheres que se casam.

Muitos casais até vivem juntos atualmente, mas não formalizam para ver se o relacionamento sobrevive às questões do dia a dia, a convivência e mudanças no trabalho. Nas estatísticas, há 123 milhões de católicos no Brasil, que, segundo o último censo do IBGE, representam 64,6% da população. Um percentual que vem diminuindo e que teve uma queda nas duas últimas décadas.

 

Geração Baby Boomer
(nascidos entre 1943 e 1960)
Geração Y
(nascidos 1970 até meados de 2000)
 não tinham muitos gastos com casamento. gastos com aluguel do local, contratação de buffet, shows, doces personalizados,
iluminação, decoração, lembrancinhas modernas. Atualmente o mercado de
casamento movimenta cerca de R$ 15 bilhões por ano.
 cerimonia para familiares e amigos próximos. ventos sociais com 500 até 1000 convidados ou mais, com cobertura da imprensa
e muito entretenimento durante a festa.
as noivas prezavam por vestidos “comportados” e tradicionais longos. optam por ousar um pouco mais com vestidos curtos, com transparência, decotes,
tomara que caia, mais brilhos, mas tem também noivas tradicionais e com vestidos
mais conservadores.
maioria católicos se casavam em igrejas e as festas eram feitas, normalmente,
na própria casa, com um número reservado de convidados. Se não, outra opção
era realizar a festa de casamento em salões de festas com familiares e amigos próximos.
as cerimônias, que não precisa ser necessariamente em igrejas, seguem depois para
festas em buffets super decorados, com diversas opções de pratos salgados e doces,
com shows, iluminação, entre outro.
casavam antes dos 25 anos de idade 25 anos a idade média das mulheres que se casam.
 muitas eram donas de casa e não tinham a independência financeira. muitas são profissionais com independência financeira.

De acordo com dados do IBGE, acontecem anualmente mais 1 milhão de uniões em todo o Brasil, movimentando cerca e R$ 15 bilhões anuais, o mercado de casamentos é um dos únicos no país que não se afeta tanto a crise econômica, o orçamento gasto para um casamento, começa, normalmente, com pelo menos 40 mil reais. No país, já são mais de 8,5 mil empresas no ramo, e, estima-se que para preparar uma cerimônia, os noivos precisam reunir de 38 a 42 serviços diferentes.

Dentre essas empresas, os noivos podem contar com a assessoria da cerimônia, vestido da noiva, buffets, bar, decoração, lista de presentes, lembrancinhas, docinhos, e personal trainers, que orientam a noiva com dieta , o principal objetivo é fazer com que a noiva entre no vestido dos sonhos, promover saúde e qualidade de vida até o dia do casamento, com metas mensais para perda de peso, e a cada mês a noiva passa por novas avaliações para medir os resultados.

Existem também empresas que acompanham a onda tecnológica dos smartphones para entrar no mercado de casamentos como a Le Jour que tem como objetivo criar uma nova forma de interação entre os noivos e os convidados, um aplicativo criado pelos noivos que funciona como uma rede social do casamento, onde eles podem convidar as pessoas para a cerimônia, podem compartilhar fotos e postar informações na timeline, que é bloqueada e exclusiva para os convidados.

E para mostrar a diferença entre a geração Baby Bboomers e a geração Y, atualmente existe até serviço de psicólogo especialista e personalizado para noivas.
Via

Facebook Comments
Comments
  1. Eu e Kátia tivemos como GRANDE inovação para nós como jovens de uma nova sociedade ir ao fórum e casar sem que ninguém soubesse. Não sabíamos que precisava de testemunhas, nem que primeiro, se colocava os papeis, e depois, numa certa data, o casamento era realizado.

    Lá no fórum, um senhor amigo de meu sogro, que lá estava, se prontificou: para eles eu sou testemunha.

    Quando chegamos em casa, meu sogro, já sabia e nos inquiriu.
    – O que é que vocês tem na cabeça de querer casar escondido?

ADD YOUR COMMENT

Mostrar botões
Esconder botões