Arquivo - Autor

Se só me restar

Se só me restar um dia a cada dia Eu tenho que viver com vontade Não temer a ansiedade Ser feliz e viver Não ter medo de sofrer Minhas mágoas esquecer Meus pecados não roer Se só

Meus olhos

Os meus olhos. Os mesmo olhos meus. Aqui e alí. A contemplar a simplicidade das coisas, da vida, das coisas da vida. Te quero vida. Linda, infinita. Lapidada, rara. Lisboa, coisa boa.

Pensamentos, dúvidas e paixões

E assim como um dia Venderei meus próprios pensamentos De dúvidas , de paixões Quaisquer que sejam Mas sem exitação No êxtase de me abrir E deixar que o ar me toque as entranhas E expulse de

De repente

De repente a vida da gente Dá nó na cabeça Faz intriga na mente Depois pede desculpa De repente a vida bate Na porta da gente E sem licença abre O leque das possibilidades E sem cerimônia

Tentei

Tentei entender certas coisas incompreensíveis Porém não entendendo aceitei Como a dor do parto Ou a dor da traição Tentei saber-me indo E ao não ir não me soube achada Perdida em mil metades Desencontradas Tentei medir

Vivendo

Há coisas que já se foram e eu queria que voltassem. Há caminhos que não passei e pelos quais queria ter caminhado. Há atitudes que não tomei e engoli em seco, podendo as ter tomado, podendo ter

Acreditar

A verdade é que não somos nós os diferentes. Os outros é que são iguais, pensam igual, comem e dormem, estudam, saem e só. Não tem nem terão uma estória de vida e/ou um fato marcante para

Existindo

A busca e incansável. De uns tempos pra cá tenho me encontrado. Ou, pelo menos, tento me procurar até me achar. Fiz amigos. Amigos novos com cabeças diferentes, pensantes, sedentas de vida. Amigos felizes que me ajudam
Mostrar botões
Esconder botões